PDA

Ver Versão Completa : Macrobrachium rosenbergii?? - Camarão ou uma lagosta? o q será???



Solange lima
18-11-08, 03:58
Taa aquiii.. olha gente!
Desculpaa ainda sou meio galega(não sei mexer ainda direito) nesse site.. rsrsr

Diga aí.. Camarão ou uma lagosta???

bjs e obrigada___________-:sbSourira :sbSalut:

Raul Silva Santos
18-11-08, 08:55
Não dá para ver foto nenhuma. Assim não dá para identificar.

Solange lima
18-11-08, 17:00
Ps:Desculpem não conseguir postar a foto... yb620
Esse site é meio dificil de se mexeer..

maiis em breve tentarei colocar a foto..
abraços sol.

Artur Fonseca
19-11-08, 07:21
olá, podes usar o http://photobucket.com para colocar fotos online :sbOk3:

Pedro Nuno Ferreira
23-11-08, 02:35
:ola)Viva Solange

Pela tua descrição parece tratar-se do Macrobrachium rosenbergii...um camarão de água doce com fase larvar em água salobra...e este camarão não é boa noticia...é um camarão de água doce oriundo do sudeste asiático, Austrália, e criado um pouco por todo o planeta para efeitos comerciais alimentares dado que atinge elevado peso e tamanho, um "leviatã (http://pt.wikipedia.org/wiki/Leviat%C3%A3_(monstro))" que no caso de Santo Amaro do Maranhão, ou os Lençóis Maranhenses, terá fugido de uma criação comercial e tornou-se numa espécie invasora de um ecossistema particularmente delicado.

Abaixo segue a explicação que te dei no tópico de apresentação dos membros e que agora tenho a certeza pela fotografia que colocaste no teu perfil pessoal

http://www.reefforum.net/image.php?u=7656&dateline=1227028380&type=profile





Taa aquiii.. olha gente!
Desculpaa ainda sou meio galega(não sei mexer ainda direito) nesse site.. rsrsr

Diga aí.. Camarão ou uma lagosta???

bjs e obrigada___________-:sbSourira [/I]


:ola)Viva Solange
Pela tua descrição parece ser um Macrobrachium rosenbergii (http://images.google.com/images?ie=UTF-8&oe=UTF-8&sourceid=navclient&gfns=1&q=Macrobrachium%20rosenbergii&um=1&sa=N&tab=wi)

Se for não se pode dizer que seja lá muito boa noticia, porque não é natural do Brasil, é criado para fins comerciais essencialmente alimentares uma vez que é um camarão que pode atingir um peso e tamanho considerável....:sbBiere5::sbBiere5::sbBiere5:.... e depende de proximidade de águas salobras onde começa a sua vida para depois crescer e ser totalmente de água doce...é oriundo do sudeste asiático e Austrália e é criado em quintas de aqua cultura para fins alimentares nos EUA, Brasil, etc...

http://en.wikipedia.org/wiki/Image:G...sian_Prawn.JPG (http://en.wikipedia.org/wiki/Image:Giant_Malaysian_Prawn.JPG)

http://en.wikipedia.org/wiki/Giant_river_prawn

Aqui vê-se bem o azul das pinças e tamanho que atinge
http://www.miami-aquaculture.com/macrobra.htm

aqui pode ver-se a distribuição geográfica da produção
http://www.fao.org/fishery/cultureds...rosenbergii/en (http://www.fao.org/fishery/culturedspecies/Macrobrachium_rosenbergii/en)

e aqui podes ler que invadiu a área maranhense
http://www.institutohorus.org.br/dow...osenbergii.htm (http://www.institutohorus.org.br/download/fichas/Macrobrachium_rosenbergii.htm)




Causa da introdução:Forma:Local:Data:
Por interesse de aquiculturaVoluntária1980
Por interesse de aquiculturaVoluntáriaPernambuco1978
Uso econômico:
Criação em tanques para comercialização.
Impactos ecológicos:
Predação de comunidade nativa - redução da biodiversidade nativa. M. rosenbergii é afetado pelo vírus WSS (White Spot Syndrome) e o escape acidental para o ambiente natural de indivíduos contaminados representa uma séria ameaça às espécies brasileiras nativas.Por ser carnívoro e extremamente voraz, o M. rosenbergii pode vir a causar um desequilíbrio nas populações de camarões nativos.

Impacto econômico:
Apesar de seu imapcto positivo em um primeiro momento, gerando reda e empregos através do cultivo desta espécie. O problema de degradação ambiental, substituição dos manguezais por sistemas de cultivos e deterioração da qualidade de água das regiôes próximas aos cultivos (devido ao grande aporte de nutrientes), podem transformar este senário positivo em um grande problema econômico uma vez que a recuperação destes ambientes são extremamente caras e de difícil recuperação. Outra possibilidade de impacto da introdução deste camarão, ainda não estudado, é a hipótese deste substituir os camarões nativos o que causaria um grande problema na pesca, principalmente para os pequenos pescadores.
Impacto na saúde:
No cultivo de camarão, a constução dos tanques revolve os sedimentos onde estão precipitados metais pesados, com isso eles são disponibilizados na cadeia alimentar. Um estudo mostra que os caranguejos do manguezal que recebem as águas dos tanques estão contaminados com os metais pesados e os pescadores se alimentam desses caranguejos.
Prevenção:
Incentivo a substituição do cultivo deste camarão por espécies nativas.
Controle mecânico:
Pesca
Área de distribuição onde a espécie é nativa:
Nativa do Indo-oeste Pacífico - Índia, Malásia
Ambiente natural:
Rios e lagos (ambiente de água doce)
Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
Açudes
Município / Estado:
Trairi / Ceará
Situação populacional:
Contida
Descrição da invasão:
Foi introduzida para cultivo na década de 90.
Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
Área de Proteção Ambiental da Baixada Maranhense
Município / Estado:
Anajatuba / Maranhão
Situação populacional:
Invasora
Descrição da invasão:
Fuga de criações em cativeiro.

Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
Área de Proteção Ambiental da Baixada Maranhense
Município / Estado:
Arari / Maranhão
Situação populacional:
Invasora
Descrição da invasão:
Fuga de criações em cativeiro.
Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
Campo de Perizes
Município / Estado:
Bacabeira / Maranhão
Situação populacional:
Invasora
Descrição da invasão:
Fuga de criações em cativeiro.
Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
Área de Proteção Ambiental da Baixada Maranhense
Município / Estado:
Matinha / Maranhão
Situação populacional:
Invasora
Descrição da invasão:
Fuga de criações em cativeiro.

Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
Área de Proteção Ambiental da Baixada Maranhense
Município / Estado:
Monção / Maranhão
Situação populacional:
Invasora
Descrição da invasão:
Fuga de criações em cativeiro.
Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
Área de Proteção Ambiental da Baixada Maranhense
Município / Estado:
Penalva / Maranhão
Situação populacional:
Invasora
Descrição da invasão:
Fuga de criações em cativeiro.
Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
Área de Proteção Ambiental da Baixada Maranhense
Município / Estado:
Pindaré-Mirim / Maranhão
Situação populacional:
Invasora
Descrição da invasão:
Fuga de criações em cativeiro.

Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
Área de Proteção Ambiental da Baixada Maranhense
Município / Estado:
Pinheiro / Maranhão
Situação populacional:
Invasora
Descrição da invasão:
Fuga de criações em cativeiro.
Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
Criadouros
Município / Estado:
Primeira Cruz / Maranhão
Situação populacional:
Invasora
Descrição da invasão:
Fuga de criações em cativeiro.
Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
Não informado
Município / Estado:
Santa Filomena do Maranhão / Maranhão
Situação populacional:
Invasora
Descrição da invasão:
Fuga de criações em cativeiro.

Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
Área de Proteção Ambiental da Baixada Maranhense
Município / Estado:
Santa Helena / Maranhão
Situação populacional:
Invasora
Descrição da invasão:
Fuga de criações em cativeiro.
Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
Lago Santo Amaro
Município / Estado:
Santo Amaro do Maranhão / Maranhão
Situação populacional:
Invasora
Descrição da invasão:
Fuga de criações em cativeiro.
Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
Área de Proteção Ambiental da Baixada Maranhense
Município / Estado:
São Bento / Maranhão
Situação populacional:
Invasora
Descrição da invasão:
Fuga de criações em cativeiro.

Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
Não informado
Município / Estado:
São Luís / Maranhão
Situação populacional:
Invasora
Descrição da invasão:
Fuga de criações em cativeiro.
Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
Área de Proteção Ambiental da Baixada Maranhense
Município / Estado:
Vitória do Mearim / Maranhão
Situação populacional:
Invasora
Descrição da invasão:
Fuga de criações em cativeiro.
Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
Área de Proteção Ambiental da Baixada Maranhense
Município / Estado:
Zé Doca / Maranhão
Situação populacional:
Invasora
Descrição da invasão:
Fuga de criações em cativeiro.

Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
Ilha de Mosqueiro
Município / Estado:
Belém / Pará
Situação populacional:
Invasora
Descrição da invasão:
Encontrado nas proximidades de ilhas onde pescadores locais trabalham. O pesquisador fornece estas informações de ocorrência com base em relatos de campo.
Área de invasão:
Ambiente:
Formações Pioneiras de Influência Fluviomarinha (Manguezal e Campo Salino)
Localidade:
Furo do Taici, canal da maré. Estuário do rio Caeté
Município / Estado:
Bragança / Pará
Situação populacional:
Invasora
Descrição da invasão:
Estuário do rio Caeté.
Área de invasão:
Ambiente:
Formações Pioneiras de Influência Fluviomarinha (Manguezal e Campo Salino)
Localidade:
Rio Caeté
Município / Estado:
Bragança / Pará
Situação populacional:
Invasora
Descrição da invasão:
Sob a ponte Sapucajuba.

Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
nordeste paraense
Município / Estado:
Colares / Pará
Situação populacional:
Detectada em ambiente natural
Descrição da invasão:
Área de Proteção Ambientalrenta estar se reproduzindo normalmente em áreas estuarinas do estado do Pará.
Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
Ilha do Marajó
Município / Estado:
Salvaterra / Pará
Situação populacional:
Detectada em ambiente natural
Descrição da invasão:
Área de Proteção Ambiental renta estar se reproduzindo normalmente em áreas estuarinas do estado do Pará.
Área de invasão:
Ambiente:
Água doce
Localidade:
Não informado
Município / Estado:
Siriri / Sergipe
Situação populacional:
Invasora



O ecosistema dos Lençóis Maranhenses é delicado, tanto que há legislação espcífica para o proteger, mas se de facto for o Macrobrachium rosenbergii que tenha fugido de alguma criação comercial o tenha invadido o parque dos Lençóis Maranhenses, pode-se dizer que os Lençóis Maranhenses vão ficar em maus lençóis, ou seja, vão ficar me risco grave.

http://shawneeprawn.org/Info/Overvie...ut/Growout.htm (http://shawneeprawn.org/Info/Overview/Pond_Growout/Growout.htm)

http://shawneeprawn.org/Info/Images/Macrobrachium%20rosenbergii%20002.jpg

http://shawneeprawn.org/Info/Images/Macrobrachium%20rosenbergii%20012.JPG

Espero para bem do ecossistema de Santo Amaro do Maranhão, que não seja o Macrobrachium rosenbergii

Atenciosamente:sbOk3:
Pedro Nuno

Solange lima
23-11-08, 03:21
Rapazz até q enfim q essa imagem saiu já tava tristee..
Porque não conseguia colocar.. enfim... :palmadass
Multissimooo obrigada p/ter me respondido, sua explicação foi bem convincente...:sbOk3:

Um grande abraço e bom fds_______________:jmdALEnve